Posts com as tags:

Costura

21 set 2015

Como fazer um cover em tecido para Headphone

Quando vi a promo tãão boa durante a minha morada na França, não aguentei. Tava precisada. Comprei este Headphone que  é da Urban Outfitters e tem uma linha toda colorida, cada um mais lindo que o outro. A cor verde menta foi a única que tinha e eu adoro, mas pra sujar é daqui “prali”. E eu, que só vivo com a mão suja de tinta, caneta, terra, pó dali e daqui, tava sujando o bichinho muito rápido.

Como não encontrei nenhuma capinha ou algo parecido, resolvi cobrir assim, com tecido que combinasse um pouquinho com a cor. Não tem nenhum segredo não, viu? Só mesmo uma tira de tecido. Cortei 1m de comprimento por três dedos de largura. Como tenho máquina, fiz o acabamento.

3

Mas se não tiver, não tem problema, com um tecido mais grosso que não desfia tanto, pode ficar bacana também. depois daí, a coisa é super simples. Comecei enrolando a fita e passando por cima do arco, meio na diagonal, pra ir cobrindo os espaços. Delicadamente, mas firma pra o tecido não ficar folgado. No final, dobrei a ponta que sobrou pra dentro e dei dois pontinhos na mão mesmo, com agulha fina e linha branca. Voltei pro início e dei um pontinho também pra garantir. Costurei no tecido e não no fone, só pra lembrar.

4E só!

1

Vou fazer uma tirinha pra cobrir o fio também, porque ô coisa que suja é cabo, né? E quando o tecido sujar ou enjoar, só vou desfazer os pontinhos e enrolar outra tira. Pronto, Headphone protegido, customizado e mais bonitchiinho! Bj!

2

 

02 abr 2015

Onde comprar tecidos em Paris – Roteiro Artesantal em Paris – Parte II

Te dei dicas de onde encontrar tecidos aqui em Paris ontem, não foi? Entonces hoje, a gente segue na rota. Ainda na mesma rua em Montmartre, ao lado do Marché Saint-Pierre tem a mais fofa de todas, da minha opinião, além do lugar dos que vi, onde há um boa quantidade de acessórios pra costura. A Frou Frou é uma marca, loja e também é ateliê de costura e de oficinas onde mulheres e homens participam (e eu vou fazer uma, crariu). Vende tudo pra costura, além dos tecidos.

13A

14A

São linhas pra bordar, costura, pesponto, agulhas pra máquina, tricô, crochê, fitas, elásticos…

16A

Kits com pedaços de tecidos e botões pra você criar ou então kits já prontos, só pra montar, como é o caso desta camisolinha <3

15A

E os botões?? Nos fundos da loja, um reiiiino deles!

17A

Encontrei todos os que imaginei e aqueles que também nunca.

18A

Há ainda uma parte só pra cortina, com acessórios pra a/o cliente montar a sua. Acessórios é o que bem tem mesmo. Cada fofura, claro, com uma loja com esse nome. Fofura e fru fru pouco é bobagem, adoro e me julguem 😀

19A

Vale a pena caminhar mais pela praça Saint Pierre e ir descendo as ruas pelas lojinhas de tecido. São muitas. Mas se o preço ainda tiver alto, vaza de Montmartre, que ainda é bem turístico e vai pra mais longe. Tenho rodado pelos arrondisement que estão fora da rota dos turistas. Já já te falo só disso. Mas no 20º, descendo no metrô Menilmontant, você sai bem perto dessa lojinha aí. Os tecidos são bons e é endereço certo de quem trabalha com tecido aqui.

20A

Acho que de dicas sobre onde encontrar tecidos aqui por Paris tá bom, né? Caso tope com algo diferente te aviso, mas por enquanto, são nessas aí que iria se a minha mini máquina tivesse cabido na mala #shorayyy. Abaixo segue o endereço de cada uma, embora sejam quase todas na mesma rua, marcam endereços diferentes. E também vai uma dica pra entender os endereços por aqui. Todo endereço é acompanhado por 750XX, 750YY. É que estes dois últimos números são o arrodisement, ou “distrito” “bairro” pra facilitar. Paris vai do 1º ao 20º arrondisement. Quanto maior o número, mais distante do centro. E se o final não for nenhum desses números, a região fica fora de Paris. Sacastes? 😀 Entonces, até a djá, babies!

Beijos!

 

Marché Saint-Pierre

2 Rue Charles Noier, 75018, Paris

Les Coupouns de Saint Pierre

1 Place de Saint Pierre, 75018, Paris

Reine

5, Place Saint Pierre, 75918, Paris

Frou Frou

2,4,6 Rue Livingstone, 75018, Paris

Stop Tissu

62, Boulevard de Belleville, 75020, Paris

01 abr 2015

Onde comprar tecidos – Roteiro Artesanal em Paris – Parte I

Seguindo com o roteiro artesanal por Paris (Clica na tag pra encontra o restante, beleza?) fui atrás de algumas lojas bacanas pra comprar tecido. Só algumas, mas que já são bem boas. Adoro uma tinta, um móvel véio, mas sou suspeita quando se fala em costura e em criações com tecidos, afinal, sou filha, neta de costureiros. Quase todo mundo na família já costurou, homens e mulheres. Como eu já saí do tratamento, já me recuperei, não compro mais um metrinho, nenhum 😀

No Brasil os meus preferidos, sem dúvida, são os da Círculo. Uso e mais que recomendo. São bem encorpados, macios, cores vivas e que não desbotam. Mas como tive a capacidade de esquecer minha malinha pra criar aqui, fiquei chupando dedo. O que não me impediu de ir atrás das lojinhas de “tissus” e compartilhar. O bairro onde boas lojas se concentram é Montmartre. O mesmo da basílica da Sacré-Coeur, do café da Amelie, e das luzinhas que te contei lá no A Casa Que A Minha Vó Queria. E é muito fácil de chegar, minha gente. Fica no 18º Arrondisement, já te falei dele. É tido como mais popular, mas não menos turístico e bem badaladinho pro meu gosto, mas durante a semana dá pra se perder por lá com mais tranquilidade. Pegando o metrô até Abesses, saia da estação (com ajuda do elevador, por favor! Nunca vi tanta escada em minha vida!) vire à esquerda e siga reto até chegar às escadarias da basílica. Siga mais na mesma direção e ao lado da igreja, vai ter um centro de artes, ao lado dele o Marché Saint-Pierre. Não tem erro, minha gente, o Marché fica na esquina, na “quina” mesmo e é enorme. Quatro andares pra pirar de vez.

1A

No primeiro, tricoline, viscose, crepe… um mundo. Cores e estampas absurdas de lindas!

2A

3A

A parte com tecidos pra patchwork é de suspirar.

4A

São quatro andares e em casa, sinalização e descrição do que o cliente pode encontrar.

5A

No segundo, linho, veludo, feltro e muitos paninhos pra casa. Coisa que adoro. Paninho de prato, pra cobrir bolo, guardanapo de tecido, toalhas de banho por exemplo. Além disso, matelassê já pronto.

6A

No terceiro andar, tecidos mais finos e caros. Seda pura de tooodas as cores. O terceiro andar é destinado a quem procura tecidos pra festas e casamentos.

7A

No último andar, tecidos grossos pra cortina, poltrona, almofada…voltados pra decor, mesmo. As estampas quase causaram meu desencarne 😀 Esse por exemplo, pode ir tranquilo pra uma parede.

8A

E foi. Meio mal colado, mas foi.

9A

Saindo do Marché, tu dá de cara com a Les Coupouns de Saint Pierre, onde os tecidos são menos variados, mas mais baratos.

10A

É uma espécie de Varejão dos tecidos, sabe? Com tecidos já cortados em tamanhos determinados e preços. Quando fui, estava bem cheio e a mulherada toda em cima. E talvez tenha sido por conta do burburinho causado pelo reality show francês que escolhe um estilista no final. Uma das provas do programa levou os participantes até a Les Coupouns e a galera fez a festa. Não há tanta variedades, mas os preços são bons.

11A

Ao lado, mas ao lado mesmo, na mesma calçada, tem outra grande, a Reine. Parecida com o Marché, têm andares cheios de tecidos e alguns acessórios.

12A

Ainda tenho mais pra te mostrar e te prometo fortes emoções, fofurices e mais cores! Até amanhã e um beijo!

06 nov 2014

Como fazer uma faixinha turbante

Eu adoro acessórios. De cabelo, de braço, de dedo, de orelha.. Os de cabelo tenho vários e quando tinha cabelo de cuia (porque eu já tive) abusava. Mas não sei porque sinto dor. Não sei se a cabeça é grande pro acessório, se ele tá com alguma onda errada e aperta mais dali, daqui..enfim, mesmo assim eu uso. Quando eu tiver perto de pirar eu tiro 😀 Mentira. Assim também não, né?

Adoro os lencinhos, faixinhas e tiaras. Os turbantes são lindos e ainda esconde se a cabeleira tiver suja 😀 Mas eu queria algo mais prático, que não precisasse fazer amarrações. Porque toda vez que amarro lenço nele, perco uma peruca. Amarro errado, faço nó aqui e acolá, arranco cabelo e saio tooda Edward Mão de Tesoura, com cabelo picotado pelo chão.

Aproveitando as sobras de tecido que tenho, resolvi fazer um. Os turbantes geralmente são feitos com malha ou em outro tecido mais elástico. Não tenho nem um nem outro, então, bolei este com as faixinhas com elástico e deu certo!

Eu cortei quatro tiras de 35cm de comprimento, por cerca de 7cm de largura mais ou menos. Essas medidas é você que escolhe, afinal, a cabeça é sua 😀 Eu fiz mais folgadinha. Cortei as tiras e costurei as laterais.

Foto1

Foto2

As quatro viraram duas. Desviradas, fiz uma cruz pra poder fazer o modelo turbante.

Foto3

 

Foto4

Ela fica com a cara estranha, o tecido é encorpado, mas depois que a gente prega as laterais e junta tudo com alfinete, o turbante começa a nascer.

Foto5

Um pedaço de elástico é que dá o tom da coisa. Eu preguei este aí, assim mesmo, pra poder ficar duas tiras de elástico e não apenas uma.

Foto6

O que fiz em seguida só foi acertar as pontas com a tesoura de picote pra evitar desfiar e envolvi as pontas do elástico com tecido. Dei um “abraço” no elástico e passei e costura.

Foto7

Mais fácil que isso, só dois disso!

Foto8

 

Foto9

E olha o detalhe do elástico, ficam duas voltas:

Foto11

Esse projetinho dá pra fazer à mão, caso você não tenha máquina de costura. Basta costurar com calma dando pontinhos bem juntos, beleza?

Bjbj!

22 out 2014

Como fazer um Kimono

Eu chamava meu bichinho, surrado, de tudo, menos de Kimono. Há uns dez anos comprei o meu primeiro, de malha, um tom meio borgonha, sabe? Ele era comprido e com as pontas na frente maiores. Adorava esta peça, era curinga pra quem sempre apostava mais no básico como eu. Mas só agora, que olho e vejo estas peças em várias vitrines que soube que kimono era kimono e confirmo que a moda é mesmo cíclica, né? Nunca fui muito de segui-la e quando não há opção, tento adaptar pra o que gosto. Com o kimono fiz o mesmo.

Desde que a peça volto à tona, só achei uma com estampa Liberty em fundo preto que ganhou me coração. Vejo um tanto de franja que me cansa e já imaginou eu brincando com meus bichanos? Sairia com gato pendurado pra lá e pra cá. Daí resolvi fazer o meu. Tem uma enxurrada de tutoriais na net pra te dar vários modelos. Mas resolvi fazer um simples, super simples aliás, em Musseline, este tecido fininho, meio transparente mas onde encontro estampas bem legais. É preciso ter máquina, néamm.. Mas se não tiver, senta com aquela amiga que tem, passa uma tarde se divertindo, comendo e costurando com ela! Ahh e o preço? Aqui o metro do Musseline sai entre R$ 10,00 e 13,70. Com apenas um metro dá pra fazer o kimono. Bora lá?

Dobrei o tecido todo ao meio duas vezes: primeiro na horizontal e depois na vertical:

Foto1

Daí passei as medidas a partir do meu corpo. Como soube isso? É que já fiz alguns meses de corte e costura, daí tenho o molde e medidas do meu corpo, tudo em partes e isso facilita muito. Mas se você não tiver, pode medir só com uma fita métrica mesmo que resolve. A largura do ombro mesmo é bem importante. Com o tecido dobrado, medi 45cm no ombro e marquei 8cm na gola, aí onde tá o giz verdinho, tá vendo? Então, nesta parte, você só vai cortar os 8 cm no quadrado da frente, justamente a frente do kimono, beleza?

Foto2

Aí depois de cortada, a frente. Já aproveita pra costurar e fazer uma barrinha fina por todo o kimono.

Foto3

E o fundo. Aí é só pregar a frente, ao avesso, onde tem a linha ó:

Foto8

E prontcheenho!

Foto12

Lembra dos 8cm tirados com o tecido dobrado? É pra golinha ficar assim:

Foto9

Então tá aí. Em menos de uma horinha fiz o meu, leve e light pra encarar essa verão primavera beeem comportadinha aqui na Baêa! Faz o teu e me mostra? Bjbj!

Foto10 copy