09 dez 2013

Chá com Colacorelinha

Postado por: Eva Mota

foto (2)

Ela é uma querida que sigo há um bom tempo. O espaço da Marcela Stump ou Ma é o Colacorelinha e é assim como ela: autêntico, divertido e cheio de doçura. Já faz parte da minha rotina olhar o Cola e me inspirar. A Ma é de São Paulo capital e junto com o marido e seu Duchshund chamado Shoyu (lindo!), mudou pro litoral norte do estado, Ilhabela. É formada em Publicidade e Design Gráfico e trabalha como produtora de conteúdo online e assessora de posicionamento pra algumas marcas. A Ma ainda é ilustradora e produz crafts sempre que pode. Adoro a Ma e ela sabe disso. E fico mais feliz ainda por ter este canal pra estreitar ainda mais esse carinho! Agora chega de papo, aliás, vamos a ele!

 

Ateliê Casa de Maria: Ma, vejo que você gosta de falar de exemplos de pequenos empreendedores, mostrar pequenas marcas, apoiar gente de coragem. Por que?

Ma Stump: Acho que não há coisa que me motive mais que encontrar pessoas com suas histórias cheias de orgulho de criação de marca, mudança de vida, invenção de um novo e próprio rumo. Além de conhecer e amar ouvir cada detalhe das fase do empreendimento, penso que ter um blog e poder divulgá-las e incentivar outras pessoas que estão a um passinho de ir atrás da sua autonomia é muito legal.  E pra mim, gratificante. Vejo cada vez mais sentido em poder disseminar essas marcas e esforços de pessoas esforçadas e criativas que fogem do comum e fazem da sua forma. Me identifico muito e sempre vou atrás de mais relatos, da produção de bolsas na edícula, a marca de prata de uma recém descoberta joalheira à uma confecção artesanal de roupas. Muito <3!

Ateliê Casa de Maria: No universo do blogs crafters talvez você seja a principal referência do amor ao retrô. Como começou essa relação com o vintage, o antigo? O que te atrai?

Ma Stump: Apesar de grande parte das minhas atividades diárias, profissionais e de lazer, estarem ligadas ao universo virtual, acho que a admiração pelo retrô vai além da estética e beleza, mas o gosto pelos hábitos antigos. Por mais que possa parecer um pouco romantizado, sempre penso nos objetos que retratam toda uma atmosfera antiga, de um jeito mais calmo, mais contemplador, menos frenético. Como se apreciar uma música com o cafezinho de casquete e saia midi ao lado de um rádio com caixa de madeira, um cachorro no colo, sentada em uma poltrona verde água a vida pudesse passar mais devagar e o momento pudesse ser mais curtido e por mais tempo. Será? Talvez não, talvez o ritmo do meu pensamento estivesse igualmente acelerado… Mas, é uma delicinha de visão! E trazer essa estética romântica e com as cores e formas mais lindas para os dias de hoje são um gostoso respiro.

Ateliê Casa de Maria: Você tem experiência no mundo da moda, trabalha por muitas vezes em eventos deste segmento. Como o craft, o manual, o artesanal encontram com a moda?

Ma Stump: Penso que toda criação da moda começa do artesanal e do manual e é muito legal ver por este lado. Ao invés de procurar o manual típico em desfiles de grandes marcas, por exemplo, gosto de ver como artesanal até a própria maquiagem e cabelo das modelos. Aquelas pinturas nos olhos e misturas de tons não são verdadeiras aquarelas? E cabelos que fazem tranças e dão voltas na cabeça? São pessoas que criam tudo aquilo depois de muita pesquisa e treino, mais que handmade oras. E os croquis, as provas, as costureiras e passadeiras que cuidam de cada detalhe? Tudo manual e em equipe. Mas além disso, acho que até mesmo o artesanal, aquele produzido lá naquela edícula como falava na primeira pergunta, essa tem muuuito a se beneficiar ao acompanhar e curtir um pouco a moda. Não é bacana tanto para sua linha como para a aceitação dos seus clientes saber passar uma informação diferente com um novo tipo de alça que absorveu em um editorial de uma revista, escolher uma combinação de tecidos inusitada porque está antenada com a tendência das ultimas coleções? Tem muita gente que divide esses mundos, que tem um certo preconceito, eu acho tudo bem misturado e muito rico para absorver boas novidades.

Ateliê Casa de Maria: Te acompanho há tempos. Passar pelo Cola e em outros blogs virou parte de uma gostosa rotina. Mas confesso que umas das coisas mais bonitas que vi foi o seu casamento, todo craft, delicado, cheio de detalhes. Sempre idealizou essa hora assim?

Ma Stump: Desde que minha rotina também se misturou a de muitos blogs criativos e com ideias tão originais, não conseguia mais imaginar um sim diferente, a não ser feito com a nossa cara e com um pouco da criação de cada um. Ter um marido ilustrador (quase crafter!) também ajudou muito! Pra ele, toda essa produção nossa também fazia muito mais sentido e deu o maior valor. Acho que não seria para todo casal que uma festa com botões e ilustrações por todos daria tanto prazer ao dois!

Ateliê Casa de Maria: E depois disso, nasceu um negócio craft para casamento? A montagem de kits para os noivos, lembrancinhas, surgiu a partir daí?

Ma Stump: Seria bem ousado dizer que nasceu um negócio para casamento, né? Diria que deu mais uma ênfase à criação para essa comemoração. Como sempre fiz muitas casquetes, ter feito duas bem retrôs e com voilette pra mim, despertou a vontade de outras noviinhas! Aí, vieram pedidos do tema e cada um ganha um pedacinho a mais da festa, de pombinhos para o bolo a broches para os padrinhos. 🙂

Ateliê Casa de Maria: Em tempos de Instagram, Flickr, Tumblr, Fanpages, Pinterest, Pinspire, como tornar nosso queridos e “antigos” blogs atrativos?

Ma Stump: Será que blogar também é vintage? Ó, talvez o meu conceito de blog até seja similar ao meu conceito da visinha mais “antiga”. O blog é um convite a pegar sua caneca de café, recolher-se com aconchego em um sofá com almofadas e conversar sem pressa com a autora e saber com detalhes o que ela tem para compartilhar. Já a fanpage e todos os seus derivados ( e olha que trabalho com isso) sempre me vão parecer complementares… O instagram é o petisco mais gostoso que pode ser servido o dia todo e vai culminar numa postagem que relate mais a fundo, a fanpage é o convite para a hora do chá ou café com calma, já os outros, ah, de clipagem e imagens bonitas, temos um monte por aí e sempre teremos, né? Não vejo como um conteúdo, está mais para um passatempo, uma colagem de boas referências, sem tanta opinião ou carisma.

Hum… Será que me alonguei ou será que cruzo a perna para o outro lado e pego mais uma bolachinha, dou um agrado no cão e continuo o papo?

Beijo e foi um prazer giga!!

Ateliê Casa de Maria: Obrigada, Ma! O prazer foi todo meu! O Casinha está sempre de portas abertas para você! Beijo grande!