28 mar 2014

Chá com A casa que minha Vó queria

Postado por: Eva Mota

Gente, toda vez que sei que vou soltar um bate papo aqui (ó eu falando como se o blog tivesse 25 anos?) Sério, repara, toda vez que sei quem vai vir de uma próxima, fico por dias pensando na pessoa. Fico puxando da memória a primeira imagem, o primeiro contato, a primeira clicada, a primeira vez que vi o nome. E com a Ana eu lembro bem. Muito bem. Marido diz que tenho ouvido de tuberculoso e o blog tem me feito ganhar a alcunha de “memória de elefante” também 😀

Mas eu lembro que fui pesquisar sobre uma das poucas novelas pelas quais me interessei (não assisto uma há quase duas décadas) Daí digitei algo sobre a “Cordel Encantado” e apareceu um link. Achei o nome interessante e divertido, óbvio que cliquei. Pronto! Era o lindo A Casa que minha Vó queria Me perdi por lá. Li o post sobre a visita da Ana, que passeou pelos bastidores da novela, conheceu o Cauã Reymond, teve a camisa inebriada pelo cheiro do galã e quis leiloar a mesma! Hahaha Me ganhou, a empatia foi enorme. O tom coloquial, o ar despojado e saber que ela era nordestina me fez adicionar o blog a minha barra de favoritos e ele nunca saiu de lá. Nos dias depois da descoberta, as visitas só aumentaram. Eu acho que isso aconteceu há 3 anos ou mais. De lá pra cá, clicar no ACQMVQ virou rotina, assim como em outros blogs de gente que admiro, tenho carinho e vontade de dengar. É. Tenho mesmo e podem achar que sou dãã. Tenho uma felícia dentro de mim, gente, não tem como controlar por vezes.

O ACQMVQ é talvez pra mim, o espaço virtual do país com a maior quantidade de projetos de decoração de casa possíveis de se fazer. E sem ajuda do blog eu nem teria começado a pensar em pintar minhas paredes. As dicas são ótimas, super bem explicadinhas e foi assim que tomei vergonha na cara coragem pra tal. Ana é mãe do Vinícius e do neném recém chegado Bernardo. Junto com o marido Léo parecem máquinas incansáveis que botam pra fazer o tempo todo e compartilham descobertas com a gente sempre. Atingem um grau de DIY créu 59. Sério, ultrapassam qualquer expectativa criando desde pequenas peças, a camas, estantes, tudo e mais um pouco. Ela montou há algum tempo um espaço de venda para estas criações, o A Casa de Criação a Vó queria e atenção, clicou aqui, nê, já era, tu vai sair de carrinho cheio.

Eu poderia ficar tempos por aqui falando da Ana porque a admiração é enorme, mas deixo que ela mesma fale. O bate papo foi ótimo e eu não poderia ter ficado mais feliz! Bora acompanhar?

Aninha ACQMVQ copyAteliê Casa de Maria: Ana, em um post de fevereiro de 2013 você conta sobre sua tatuagem desta cadeira linda. E diz que a vida estava em nova fase.  Foi aí que entendeu que o Design de Interiores entrava de vez e pra sempre em sua vida? Porque escolheu esta área?

Ana: Acho que sim, hahaha. Tatuei a cadeira pq realmente amo o design dela e virou meio que uma queridinha, além de representar o meu amor por decoração, realmente AMO colocar as coisas “no lugar” aqui em casa.

tattoaninha

Ateliê Casa de Maria: De que forma nasceu a necessidade de criar um blog?

Ana: A ideia do blog surgiu depois que me “juntei” com o Leo. Não casamos, não tivemos presentes de casamento e tudo foi comprado aos pouquinhos. Como a grana naquela época era super curta, fui atrás de alternativas e vi que era possível decorar gastando pouco. Fiz um primeiro blog que acabou, e depois de um tempo resolvi voltar com um novo, o ACQMVQ.

Aninha1

Ateliê Casa de Maria: A gente percebe em diversas postagens o valor que você dá a decoração feita com paciência, aos poucos, da forma possível para cada um. Por quê?

Ana: Porque essa é a melhor forma de você decorar com personalidade, com coisas que te agradam e te fazem feliz. Imagina só ter que decidir tudo de uma vez ? Parece bom, mas na minha opinião vai faltar muita coisa, principalmente amor. (Piegas, mas verdade, hahah).

Aninha4

Ateliê Casa de Maria: Como o Léo, seu marido, resolveu escrever? De que forma isso aconteceu?

Ana: Pela minha insistência, hahaha. Agora ele pegou gosto pela coisa e só não posta mais que eu por falta de tempo, ele adora!

Aninha2

Ateliê Casa de Maria: Certa vez li alguém questionar sobre quem fazia escolhas por uma decor vinda de grandes lojas, de catálogos, de um padrão. Mas talvez o que não tenha sido questionado é que os donos destes locais só podiam ter acesso a este tipo de decoração, a esta loja e a esta informação. O que pensa sobre isso?

Ana: Eu acho que tem gente que se importa e outras não. Por exemplo, aqui em casa o carro vai pro lava jato uma vez por mês, vive sujo e empoeirado, simplesmente a gente não tem muito cuidado (além das manutenções) porque não é algo que nos importamos de fato, se nos levar para os lugares, está ótimo. Já tem pessoas que lavam o carro semanalmente e tem todo o cuidado de deixá-lo sempre um brinco. Tem gente que apenas acha legal escolher o que está mais acessível ou contratar um arquiteto/decorador pra resolver tudo por ele. E ainda, tem as pessoas que realmente não tem acesso a informação, e que acham que o que encontram nas lojas é a única alternativa.

Não adianta julgar, cada um vai por um caminho né? Eu escolhi o meu e estou super satisfeita, haha.

Aninh5

Ateliê Casa de Maria: Ana, sua ideias são sempre muito originais e possíveis, o que é melhor. O que te inspira? De que forma o Nordeste colabora com isso?

Ana: Sou muito intuição, então acho que não tem algo específico. Sou pernambucana, moro no interior, gosto da minha cultura. Tudo aqui colabora com a “vibe” da nossa casa, mas também não gosto de muitos clichês, então sempre tem algo inesperado acontecendo.

Aninha3 copy

Ateliê Casa de Maria: Você tem o Vinícius e agora o Bernardo. Foram eles que te inspiraram a criar o Cabaninha ou a decor infantil sempre te encantou mesmo antes de virar mãe?

Ana: Certeza que foram eles. Pena que não dei conta por causa do Casa de Criação. Tá engavetado, mas um dia vamos continuar com o Cabaninha.

Aninha6

Ateliê Casa de Maria: Ana, pra finalizar, você é uma blogueira admirada por milhares de seguidores. Imaginou isso em alguma hora? O que tem a dizer às novas blogueiras?

Ana: Hahaha, não sei se milhares, mas tem um pessoal gente boa que sempre tá visitando o blog. Fico feliz e encabulada sempre que alguém fala comigo na rua, morro de vergonha mesmo e quase sempre não sei como reagir, hahaha. Se eu imaginei? Nunca!!!

O que eu tenho a dizer é que comecem um blog  movidos unicamente pela paixão por algo, mesmo que esse algo seja apenas escrever sobre muitos temas, mas tem que ter paixão.  Produzam tb seus conteúdos de forma original, a gente já tem muita coisa igual em todos os lugares 😉

Ateliê Casa de Maria: Aninha querida! Meu obrigada imenso a ti! Minha Casa tá sempre de portas e janelas abertas pra você.

 

  • Yara Aguilar

    Amei!
    Muito gostosa a conversa!
    A mulher é retada!
    Eva “fia” só a elite aqui hein?!
    Tô gostando ver a originalidade assim como disse a Ana,é o que faz toda diferença pra gente amar ainda mais seu bloguito!
    Beijú!

    • hahaha Yarinha!
      Não canso de repetir como sua visita é importante, né? E você sempre atenciosa e detalhista se liga mesmo em tudo, isso é muito bom! Fico muito feliz em saber que sempre tá por aqui!
      Um bjo enorme, meu bem!

  • Márcia Marinho

    Sou suspeita será?!

    Fã admiradora, “ando pelas bandas de lá” e confesso que me jogo agora no muda muda por conta do ACQMVQ .
    Me ajudou muito no se joga, pinta forte, pinta fraco, coloca tudo, deixa sem nada.
    Conheci o ACQMVQ através do Estúdio Cereja (saudoso) e daí fiz como você (acho que é algo bem nosso) li TUDO .
    Que o sucesso e amor só triplique para a Ana e os seus.
    Beijos Eva.

    • Ainn Marcinha é isso mesmo!
      Gente como a gente não se contenta em uma única página quando algo é mesmo muito bom. Fora todo o trabalho da Ana, a simpatia é enorme bem como a simplicidade. E melhor ainda quando tudo isso traz gente boa e do bem como você, hein? Afinal foi pelas bandas da Ana que te conheci <3
      Um beijo grandão!

  • Deborah Trindade

    Sou super suspeita pois adooooooooooooro a Ana da ACQMVQ,! ADOREIIIIIIIII =)

    • Aii que eu também! Que bom que gostou, Deborah!
      Um beijo!

  • oi Eva, eu aqui de novo…hahah. Cheguei ao teu blog, depois de ver uma postagem da Ana, no face. Sigo o ACQMVQ também desde o tempo do Estúdio Cereja e, desde então, não largo mais. São poucas as inspirações que nós, aqui no Sul, temos de blogs assim, então não perco um post. Parabéns pela entrevista!

    • Oi, mulher! hahah aii que bom te ter por aqui de novo! Oo gente, foi? Que bom que nos encontramos. Nossa, a Ana é muito querida, eu sou fã demais. E não só por questões profissionais, mas simplicidade e generosidade. Concordo contigo que em determinadas regiões as inspirações assim são menores, por aqui na Bahia também. Na verdade, creio que a Ana é o grande nome do nordeste neste ramo e que esta ideia se multiplique, né?
      Obrigada mais uma vez, viu? Feliz por ter gostado da minha Casa! <3
      Beijos!