14 fev 2014

A menina de mãos inquietas…

Postado por: Eva Mota

…é assim que ela se descreve e é assim que eu também a defino. Não tinha título melhor pra este post. A minha ida à Sampa rendeu mais um encontro lindo! Esta é mais uma Ju querida que eu tenho prazer de apresentar a quem não a conhece.

Conheci a Ju Padilha há uns quatro anos pelo mundo virtual. Ela fazia parte do grupo de cinco blogueiras que tinha descoberto e eram as minhas inspirações. O blog dela sempre viveu salvo na minha barra de favoritos e era sagrado clicar todo santo dia depois de um dia cheio de reportagens pesadas. Era um alívio, porque sempre notei leveza e delicadeza nos posts da Ju.

Só que outra coisa me chamava atenção: eram as palavras bem colocadas, um conteúdo inteligente e boas reflexões. Descobri que não era pra menos: a Ju Padilha é Historiadora com especialização em História da Arte (como não ficar fã??). Daí, quando confirmei a viagem, tratei de mandar e-mail pra Ju também. E a gente se encontrou!

A Ju mora na Vila Madalena, tido com um dos bairros mais charmosos de Sampa. Uma batida de perna por lá é lei, pena que não fiquei mais tempo na cidade pra isso. Foi fácil chegar até lá. Era pertinho e na mesma linha verde do metrô que pegava. Desci na última estação e dessa vez foi tudo muito tranquilo 😀 Nada de gente subindo, subindo até chegar ao céu.

Desci na Vila Madalena, subi uma ladeirinha, desci uma rua à esquerda e vi o prédio da Ju. Mas nem precisei interfonar. Meu primeiro contato pessoal com a Ju só confirmou o que já achava dela pelos posts. Parecendo uma menina, a vi sentada de vestido longo laranja e brincando com o Francisco, neném lindo, filhote dela. A imagem foi de uma doçura sem fim. Segurei o choro (pra variar) e abri um sorrisão de três metros. A Ju abriu outro tão generoso quanto. Paramos pra nos ver, sabe? E isso me deixou tão à vontade que não tenho como pensar na lei da afinidade. Parecia que tava ali sentada com uma vizinha. Fiquei alegre demais por tudo aquilo e também pelo Chico! Neném logo se aproximou e na primeira oportunidade, já dei um cheiro no cangote dele! Hahah <3

 

jupadilha3

 

A Ju me convidou pra subir, pra conhecer o cantinho lindo dela. E de lá a gente ia almoçar num boteco delícia, mistura de bar com sebo. A gente bateu um papo, trocamos histórias e reflexões. Tudo isso revezado entre um grunido de dinossauro e outro: era o que eu fazia pro Chico enquanto ele jogava cada bicho de plástico dentro da mesa de carretel da mãe. Ok. Mal cheguei e já tava imitando um dinossauro pra neném (mas é mais forte que eu, gentenn!)

O apê é gostoso demais, leve e achei um retrato do nosso país. Tem móveis em madeira de demolição, mistura de rústico e moderno. Com vários itens artesanais produzidos pela Ju. Tem um toque gostoso de casa brasileira, com detalhes em cores quentes e vibrantes. Algumas fotos que ilustram isso que digo foram retiradas do próprio Ateliê Ju Padilha. ( Vai conhecer! Mas calmaê, termina de ler aqui antes, tá bom?)

 

jupadilha2

jupadilha4

 

A Ju morava no interior de São Paulo, em Ribeirão Preto. É de uma criatividade absurda e não para de criar. Tá sempre lançando acessórios pra cabelos como tiarinhas e presilhas de fita de cetim, de gorgurão, de tecido, além de almofadas, camisetas e mais decor pra casa. Mãos realmente inquietas.

 

jupadilha9

 

jupadilha5

 

Há algum tempo, lançou com outras duas artesãs de mãos cheias, o Coletivo Cirandeiras e promove oficinas de criação. A Ju bloga desde 2007 e de lá pra cá, traçou um caminho sólido e já reconhecido por alguns meios de comunicação do país. Mais que merecido!

 

jupadilha6

 

Ela pinta, borda, costura, tudo com inovação. Cria cada identidade e deposita muito amor nos detalhes. Fiquei maravilhada com tudo. Daí deu a hora do almoço. Enquanto a Ju organizava algumas coisas pra nossa saída, eu tava por ali com meu amiguinho Chico fingindo que um T-Rex tinha fugido e grudado na minha canela. Ah e também rolou uma fungada no pescoço daquela coisa fofa!

De lá, fomos de carro almoçar no boteco de comida delícia e com preço ótimo. Paramos numa pracinha super bacana. O bairro é ótimo, arborizado, tranquilo e com trânsito calmo. . Mais tarde, chegou a Francine Lacerda, dona deste espaço virtual tão bacana que conheci por meio da Ju. A Fran é uma gaúcha muitooo gente boa e o bate papo foi imediato (tem fotinha dela logo aí embaixo) Adorei conhecê-la e ter trocado tantas afinidades. Depois do almoço, Chico lindo começou a pedir cama e a Ju se despediu pra levá-lo pra soneca gostosa depois do almoço. Me despedi da Ju com um aperto no peito querendo ficar mais dias só pra gente se vê de novo! Mas sei que em breve a gente se encontra. Por enquanto, as redes ajudam a encurtar as distâncias.

Pra sobremesa, a Fran me levou no Vintage que ficava bem ao lado do boteco. O Vintage é um café e restaurante de decor fofa, trufa deliciosa e nos andares de cima, abriga um brechó que deixa qualquer um boquiaberto! Depois da delícia, fomos conversando e a Fran me contando algumas histórias do bairro, da cidade. Aí topamos com o Ateliê do Paulo Alves, um artista que sou fã! Quase tive um treco, mas segurei a onda pra não pagar mais mico, né? Entramos e o lugar é fantástico. O Paulo não tava lá, mas garanti uns cliques que vou guardar pra sempre!

 

Fran1

 

Do Ateliê caminhamos mais um pouco e me despedi da Fran com gostinho de quero mais. Ela foi pra casa e eu desci com sentido ao metrô pra voltar pra Pinheiros. Obrigada pela companhia, Fran!

O que fiz depois de lá é tema do próximo post. Mas antes de terminar, te digo o quão feliz saí desse encontro. Por conhecer gente nova e por encontrar pessoalmente quem admirava há tanto tempo. Repito aqui o que já disse pra Ju: agradeço demais a ela pela atenção e carinho. É tão reconfortante saber que encontrei mais amigos nessa cidade gigante. Agradeço pela confiança, por ter me convidado a entrar na casa dela, conhecer seu filhote de perto, isso não é tão comum entre pessoas que nunca se viram. Mas eu acredito que a gente se conecta rápido quando é honesto e mostra o que tem dentro do coração.

Mas peraê que ainda tem outra coisa! Pra comemorar meu encontro com a Ju, tomamos um chá e conversamos mais. Quer conferir? Vem que ela é a minha convidada do novo Hora do Chá! Clica aqui. Mas clica mesmo, viu? Te garanto que vale a pena!

Bjbj, genten!

 

 

  • Yara Aguilar

    Eita que esse trem tá bão demais da conta!!!
    É post pra viciada em Blog nenhuma por defeito!!
    Confesso que esse aqui tinha passado batido,mas menina que coisa mais linda essa casa dela fiquei APAIXONADA! E que lugar massa é aquele?! Ai menina deu vontade de tá junto!
    Amei amei…
    E a mala voltou carregada,hein?!
    Beijússs…

    • Hahhaha, mulher do céu, também fiquei doida com tanta informação, lugares novos, uma delícia. A casa da Ju é mesmo um encanto! Delicada e cheia de identidade. Amei! Prometo comprar uma mala bem grande e a gente ajeita sua ida hahah
      Um bjão!

  • Pingback: Hora do Chá – Francine Lacerda | Ateliê Casa de Maria()